2.25.2013

Agonia.

Está a ser complicado lidar com este aumento de impostos. Ontem o meu esposinho entrou em "colapso" ao ver o recibo de vencimento. Menos cento e poucos euros. Poucos como quem diz, que qualquer cêntimo custa muito a ganhar. Deitou-se agoniado e acordou agoniado. Foi trabalhar sem ânimo pois o "que ganha não corresponde ao que lhe é exigido, às responsabilidades que tem". Mas quantas pessoas não sentem o mesmo, meu amor? Neste momento o país está assim, agoniado. Eu não me manifesto, não sou de sair à rua. Mas se aparecesse uma manifestação, sem palavras, todos em silêncio e vestidos de negro, eu iria. Porque para além de me mexerem na carteira, mexem-me na alma. A minha alma entristece quando vejo o meu esposinho cabisbaixo, perdido em contas, em suspiros. Aliás, perdemo-nos. E pensamos no nosso pequenino, no futuro, no "Como será?". E eu começo a pensar em adiar o sonho de voltar a ser mãe e isso vai contra as minhas crenças, as minhas vontades, o amor que sinto pela vida e pela família. Mas não desanimo, sacudo as más energias e sigo em frente. Entre contas, suspiros, desânimos, tenho o meu esposinho e tenho o meu amor-pequenino. Sorriso que não paga imposto
O´

8 comentários:

  1. Pior é que não basta os cortes senão os aumentos, no passe, no gás, na luz, na água... baaah!

    ResponderEliminar
  2. Ai rapariga nao sei o que te diga,por aqui de uma maneira mais discreta e a uma escala maior, tambem se esta assim tudo a aumentar, e com corte nos salarios, mas como dizes sorrir nao paga imposto
    bjo boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um com os seus problemas, não é?
      Boa semana, linda.
      beijos

      Eliminar
  3. Uma pessoa desmotiva mesmo com tanto imposto que paga, sobretudo porque parece que estão a ir para um poço sem fundo. Nos recibos verdes então parece que estão mesmo a gozar connosco. Não sei como quem tem créditos elevados aguenta, sinceramente, sobretudo quem tem apenas um ou nenhum emprego. A juntar às despesas a aumentar na luz, gás, água, transporte, alimentação...

    Mas isso também não é motivo para deixares de pensar em ter mais filhos. É só uma questão de reorganização de recursos. Não desanimes. Vai tudo correr bem a quem tem juízo. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que sim, Pec. Mas às vz assusto-me.
      beijos

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Realmente, libelinha, tu que o digas. força!

      Eliminar